Câncer de intestino – informações que todos devem saber sobre a doença

Câncer de intestino – informações que todos devem saber sobre a doença

CÂNCER DE INTESTINO – INFORMAÇÕES QUE TODOS DEVEM SABER SOBRE A DOENÇA:

> O QUE É O CÂNCER DE INTESTINO E O CÂNCER COLORRETAL?
O intestino compreende duas grandes regiões. Uma parte mais fina chamada intestino delgado, que está relacionada com a digestão e a absorção dos alimentos, e uma mais grossa, o intestino grosso (cólon e reto), responsável pela absorção da água, armazenamento e eliminação dos resíduos da digestão. Câncer nessa região mais fina do intestino é muito raro. Em compensação, câncer no intestino grosso e reto é muito frequente. No Brasil, é o 3º  tipo de câncer mais frequente em homens e o 2º  entre as mulheres. 

> GRUPOS DE RISCO/ QUEM AFETA:
É comum em indivíduos com mais de 65 anos. Porém, a incidência da doença vem aumentando em adultos jovens devido aos hábitos de vida inadequados.

> SINTOMAS:
Sangue nas fezes, dor na região anal, cólicas ou dores abdominais, anemia e fraqueza, emagrecimento importante, alterações do hábito intestinal (diarréia, intensa vontade de evacuar ou constipação). 

> EVITE O CÂNCER COLORRETAL/ PREVENÇÃO:
O mais importante é adotar hábitos de vida saudáveis com:
– Alimentação rica em fibras, frutas e vegetais. Evite o consumo excessivo de carne vermelha, embutidos e alimentos processados;
– Não consuma bebidas alcoólicas em excesso e não fume;
– Pratique exercícios físicos pelo menos 3 vezes por semana. 

> DIAGNÓSTICO:
A doença começa, na grande maioria, como um pólipo pré-maligno, que ao longo dos anos sofre evolução tornando-se maligno (câncer). Além do exame de sangue oculto nas fezes, para identificar a doença precocemente, deve-se fazer, a partir dos 50 anos de idade, o exame de COLONOSCOPIA (deve ser indicado, mesmo sem sintomas), um exame de imagem capaz de visualizar todo o cólon e o reto e identificar a presença de pólipos ou outras alterações. E nos casos de câncer na família, esse exame deve ser feito a partir dos 40 anos. Se diagnosticado no início, as chances de cura superam os 95%. Através da colonoscopia, o médico irá retirar o pólipo ou fragmentos da lesão para ser analisado pelo médico Patologista, responsável pelo diagnóstico do câncer.

> TRATAMENTO:
O câncer colorretal pode ser tratado com diferentes técnicas que melhoram a qualidade e a sobrevida dos pacientes como:
1. Tratamento cirúrgico (aberto ou por vídeo laparoscopia);
2. Ressecções locais no próprio exame de colonoscopia;
3. Imunoterapia, quimioterapia e radioterapia.

Fonte: Sociedade Brasileira de Coloproctologia – SBCP (adaptado)
As informações acima são de caráter informativo. Em caso de dúvidas procure sempre um serviço de saúde. O laboratório LAPAC apoia essa causa!

Share this post